Urbanização

Bochum, Alemanha

Avançando com o freio

 
Na região de Ruhr, onze ônibus urbanos estão circulando desde meados de 2011 com acionamentos híbridos da Voith. Com isso, a companhia regional de transportes não só economiza combustível, como também dá uma contribuição importante para a proteção do clima.

Quando Michael Mutzenbach pisa nos freios, ele está ajudando também o meio ambiente. Faz um ano que o motorista, de 53 anos, dirige os ônibus da companhia de transportes Bochum-Gelsenkirchener Straßenbahnen AG (BOGESTRA) equipados com um acionamento híbrido paralelo da Voith. “Nós consumimos 15 por cento menos de combustível nas nossas viagens”, conta Mutzenbach.

O princípio é simples: sempre que o motorista freia seu ônibus, a energia gerade é armazenada no teto do veículo, em dispositivos chamados de supercaps. Esses dispositivos são capacitadores de alta potência, que são carregados com a energia dos freios e que, ao contrário de acumuladores, não sofrem desgaste. Quando o ônibus se põe em movimento novamente, ele é acelerado até cerca de 15 quilômetros por hora usando essa energia, antes que o motor diesel entre em ação automaticamente.

“Nós consumimos até 15 por cento menos de combustível nas nossas viagens.”

 
Michael Mutzenbach,
Bochum-Gelsenkirchener Straßenbahnen AG

Em meados de 2011, os onze ônibus híbridos com acionamento Voith foram colocados a serviço da BOGESTRA. Depois dos primeiros testes em itinerários selecionados, os veículos da empresa polonesa Solaris já estão circulando em várias linhas. A empresa está mais do que satisfeita com os resultados: “Até hoje, ainda não rivemos uma única falha”, conta Jörg Filter, responsável pelo setor de infraestrutura e veículos na transportadora. Ao contrário: graças aos supercaps, o motor diesel é menos exigido, e os capacitadores são totalmente livres de manutenção. E a emissão de partículas em suspensão chega a ser 90 por cento menor que em veículos diesel convencionais, enquanto a redução de dióxido de carbono é de 30 e a de óxido nítrico de quase 40 por cento.
 

“Para nós era claro que, se quiséssemos testar a tecnologia híbrida em grande escala, então teria que ser com a Voith.”

Jörg Filter,
Bochum-Gelsenkirchener Straßenbahnen AG

Em 2009, quando a Voith propôs à maior empresa de transporte na região do Ruhr uma cooperação para veículos híbridos, a decisão foi relativamente rápida. Helmut Zimmermann, coordenador do projeto na Voith, lembra: “A parceria de longos anos foi uma vantagem.” Jörg Filter confirma: “Para nós era claro que, se quiséssemos testar a tecnologia híbrida em grande escala, teria que ser com a Voith.”

O projeto foi realizado como parte de programas públicos de incentivo. O estado da Renânia do Norte-Vestfália subsidiou oito veículos, os outros três foram subsidiados pelo Ministério dos Transportes do Governo Federal. Jörg Filter está convencido de que atualmente, sem os recursos públicos, ainda não é possível realizar acionamentos híbridos em veículos utilitários. Serão necessários mais alguns anos até um avanço definitivo. Mas: "A tecnologia híbrida é uma tecnologia de ponte e é importante acumular conhecimentos o mais cedo possível. Com a Voith, queremos garantir a liderança em inovações."

É claro que a imagem também é importante. Quase todos os dias, o motorista Michael Mutzenbach recebe comentários dos passageiros sobre o verde do veículo, que chama a atenção. Uma tela atrás do assento do motorista mostra para os passageiros "ao vivo" como a energia de aceleração liberada no momento do freio circula através do ônibus. Os passageiros já notaram também a diferença no conforto da viagem: os ônibus híbridos balançam menos e também são mais silenciosos. O fato de conduzir um veículo de tecnologia avançada também aumenta o prazer de dirigir de Michael Mutzenbach. Ou, como ele diz no seu sotaque levemente arrastado da região do Ruhr: "Eu adoro dirigir essa coisinha."

Os ônibus verdes transmitem uma mensagem ecologicamente positiva. A nova tecnologia reduz drasticamente a emissão de partículas suspensas e diminui em cerca de um terço a carga de dióxido de carbono e óxido nítrico.

Os passageiros desfrutam de um novo conforto nas viagens e podem ter o prazer de usar os ônibus com a consciência tranquila. O acionamento híbridro é também um investimento em um futuro melhor para as próximas gerações.