Eglisau

Eglisau, Suíça

Modernizando um marco histórico

Foi no final de 2006 que a Voith ganhou o contrato para o fornecimento do equipamento eletromecânico para a reabilitação da usina hidrelétrica de Eglisau. Enquanto isso, todo o trabalho de montagem está em curso no local da usina, no rio Reno.

Preservar e modernizar ao mesmo tempo

Além da conversão do tipo de turbina, do projeto original de um rotor Francis de quase 100 anos em favor de um design Kaplan moderno, havia outra necessidade igualmente importante a cumprir: preservar a condição de marco histórico de Eglisau. As exigências de preservação da usina e de sua arquitetura tiveram de ser consideradas com muito cuidado. Grande parte do equipamento da usina ainda está em seu estado original desde 1920, e será totalmente preservado.

Montagem peça por peça pela janela

Não demorou muito até que a equipe de Gerenciamento de Projeto liderada por Peter Bührer chegasse à conclusão de que o portão e a porta da antiga casa de força seriam o gargalo para a entrega dos grandes componentes do projeto de reabilitação. Pela porta só passariam peças de até 4,5 metros de largura, mas algumas das peças novas têm mais de 6,5 metros de diâmetro - como o revestimento do poço, por exemplo.
"Era óbvio que tínhamos de encontrar outra forma de levar o equipamento para a casa de força", afirma Peter Bührer: "Nossa única chance era optar pela opção de entregar peça por peça, levando os componentes para dentro da usina pelas janelas. Por isso, agora temos um caminhão guindaste que levanta as peças verticalmente do lado de fora até as janelas". Do lado de dentro, uma nova ponte rolante complementa a ponte histórica, levando as peças até a sua posição final dentro da casa de força, que tem de 80 a 90 metros de comprimento.

O futuro de Eglisau

Em 2012, a Voith entregará sete turbinas Kaplan de 6,7 MW, geradores e reguladores, bem como o pacote de controle completo. "As novas turbinas vão até mesmo ultrapassar a eficiência garantida", explica Peter Bührer.
Em seus mais de 85 anos de operação, a usina hidrelétrica de Eglisau produziu mais de 20 bilhões de kWh de eletricidade. A aplicação de turbinas Kaplan ao invés das unidades Francis originais permite aumentar a vazão de 385 m3/s para 500 m3/s. Assim, a produção anual de energia pode ser aumentada em cerca de um terço, de 246 para 314,5 GWh. Isso será eletricidade suficiente para fornecer energia para cerca de 80.000 lares.