Frades II

Frades II, Portugal

Um marco na tecnologia de usinas reversíveis

No outono de 2010, a Voith foi contratada para equipar a nova usina hidrelétrica reversível de Frades II, em Portugal. A usina está localizada no norte do país, junto ao rio Rabago, e será conectada à rede em 2015. A operadora da usina é a empresa Energias de Portugal (EDP).

Portugal conta com energias renováveis

Para gerar a eletricidade do país, Portugal conta com energia eólica, solar e hidrelétrica. E desde a virada do milênio, o país multiplicou a sua capacidade de geração eólica. Em 1998, Portugal dispunha de aproximadamente 51 MW de capacidade instalada em turbinas eólicas, e doze anos mais tarde essa capacidade aumentou para 3.702 MW. Além disso, os planejamentos atuais prevêem uma expansão para 5.400 MW. A base para um maior desenvolvimento da geração de eletricidade a partir de fontes renováveis de energia são as grandes usinas hidrelétricas reversíveis.

Para a moderna usina hidrelétrica reversível de Frades II, a Voith forneceu duas turbinas-bombas de velocidade variável com potência nominal de 380 MW cada, dois motores-geradores assíncronos com uma potência nominal de 440 MVA cada, o conversor de frequência e os sistemas de controles, além dos componentes hidromecânicos. Uma vez colocadas em funcionamento, em 2015, as unidades serão as maiores e mais eficientes da categoria.

Turbinas-bombas de velocidade variável

Uma característica especial da usina de Frades II são suas turbinas-bombas de velocidade variável. Devido à velocidade variável das máquinas, sua capacidade de bombeamento também é variável. Desse modo, a quantidade de energia que as bombas absorvem da rede pode ser adequada de modo flexível. É precisamente essa combinação entre o armazenamento de energia e a capacidade variável da bomba que é tão decisiva para o contínuo desenvolvimento da energia eólica. A usina de Frades II será instalada em uma caverna subterrânea. A diferença de nível entre os reservatórios de água superior e inferior é de 420 metros.