Tecnologia Verde

Papel para um mundo sustentável

O futuro - eficiente e sem impacto ambiental

Quando o assunto é fabricação de papel eficiente e com baixo consumo de recursos naturais, a Voith é líder em tecnologia. Com novos processos, a empresa trabalha a todo vapor em um novo conceito de fabricação de papel para o futuro.

Hoje em dia, qualquer criança sabe disso: a reciclagem de papel protege o meio ambiente. Mais papel reciclado significa menor uso de matérias-primas valiosas, como fibras virgens de madeira, por exemplo. E, o que é mais importante, na utilização de papel reciclado gasta-se até sete vezes menos água e energia. O papel é o material dos verdadeiros sonhos ecológicos: é degradável, renovável e reciclável!

Não parece, mas é novidade: o papel transforma-se novamente em... papel!

A Voith é pioneira na reciclagem de papel usado, desenvolveu essa tecnologia há décadas, tornando possível pela primeira vez a fabricação de papel reciclado. Desde então, os engenheiros da Voith continuaram aprimorando e aperfeiçoando os processos de produção. “Hoje temos uma tecnologia que permite fabricar também papéis de altíssima qualidade usando papel reciclado”, diz Thomas Wurster, chefe de Novas Tecnologias. Atualmente, a proporção de fibras recicladas em todo o mundo gira em torno de 50%. Se for possível aumentar esse valor para 70%, seria possível cobrir a demanda adicional de papel nos próximos dez anos sem utilizar mais fibras virgens. Uma meta ambiciosa, mas absolutamente realista com as tecnologias da Voith.

Sustentável e macio: papel tissue de alta qualidade com fibras recicladas

Máquinas com a tecnologia ATMOS consomem apenas cerca de 60% da energia de instalações equivalentes.

É impossível imaginar o nosso cotidiano sem papel tissue, seja na forma de lenços de papel, papel higiênico, guardanapos ou papel absorvente de cozinha. Com o ATMOS, a Voith revolucionou a fabricação desse tipo de papel. Pela primeira vez é possível produzir tissue de qualidade premium usando 100% de papel reciclado. Até agora, no máximo 20% podiam ser usados. Além disso, as máquinas com a tecnologia ATMOS consomem apenas cerca de 60% da energia de instalações equivalentes e um quarto menos de fibras. O módulo ATMOS foi desenvolvido em uma cooperação de dois continentes, entre os engenheiros da Voith no Brasil e na Alemanha.