Tissue

Treze unidades em dois anos falam por si

Produtores de tissue optam cada vez mais pela Voith Paper

Nos últimos 20 anos, o setor de produção de papéis tissue atingiu uma respeitável taxa média de crescimento de cerca de 4%. E a Voith participa deste cenário. Isto se deve predominantemente às novas tecnologias, como o ATMOS, que permite a produção de papel economicamente vantajosa e ambientalmente compatível, mas também resulta no desenvolvimentos de outros produtos, como a prensa de sapata NipcoFlex T.

30 milhões de toneladas de papel tissue foram consumidas no mundo todo em 2010, principalmente na América do Norte, Europa, China e América Latina. Observando este número em comparação aos valores de 20 anos atrás – em 1990, este consumo era em torno de 14 milhões de toneladas –, uma coisa fica clara: papéis tissue apresentararam uma taxa de crescimento estável acima de 4% ao ano. Isto se deve principalmente à crescente demanda na China e na América Latina.

 

40% de crescimento na China

 

“Nós presumimos que a demanda por papéis tissue continuará a crescer nos próximos anos”, diz Rogério Berardi, responsável por vendas e marketing para máquinas tissue na Voith Paper, em São Paulo. “Especialistas prevêem para os próximos seis anos uma taxa média de crescimento de 3,6%. Somente na China, o consumo de papéis tissue responderá por 40% deste crescimento”.

O que torna o mercado de tissue tão peculiar para a indústria é a presença de especificações muito diferentes entre si para papéis tissue entre as diversas regiões. Marcus Schwier, Vice-Presidente para Papéis Tissue na Voith Paper, afirma: “Sobretudo, estas são diferenças no próprio produto final como, por exemplo, o número de camadas ou a maciez do papel, e também no próprio comportamento do mercado, que varia de um país para outro. Com freqüência, as opiniões e desejos dos consumidores neste sentido divergem amplamente. Além disto, para poderem se manter competitivos, os fabricantes de papel devem reduzir seus custos de produção e, consequentemente, o uso de energia e matérias-primas”.

Progresso com o ATMOS

A Voith Paper vem buscando uma clara estratégia para participar deste cenário: “A Voith está voltada para conceitos que reduzem o consumo de matéria-prima e energia. Portanto, nós damos suporte a nossos clientes no sentido de operarem de modo sustentável. Além disto, eles também percebem vantagens econômicas, já que nossas soluções oferecem um menor custo total de propriedade”, explica Schwier. “Conceitos inovadores como o conceito ATMOS e a prensa de sapata NipcoFlex T conquistaram nossos clientes e nos possibilitarem inserções positivas no mercado de papel tissue premium e papel tissue crepe seco nos últimos três anos”.

"O ATMOS foi desenvolvido no Centro de Tecnologia de Processos para Tissue na Voith Paper São Paulo. Comparado com outras tecnologias do mercado, a tecnologia ATMOS permite produzir papel tissue premium a um custo de investimento 40% inferior, utilizando 60% menos energia, menor quantidade de fibras e, ainda, até 100% de fibras recicladas ou fibras virgens,” resume Berardi.

No entanto, este progresso tecnológico, que também representa um avanço ecológico e econômico para a fabricação de papel, não ocorreu por acaso. A máquina-piloto da Voith Paper em São Paulo é de grande interesse para os clientes e opera a plena capacidade. A máquina pode utilizar ATMOS para produzir tissue premium, e também pode fabricar papel tissue crepe seco convencional. Os testes-piloto abrangem todo o processo de fabricação de tissue, desde as fibras até o produto acabado.

Investir em pesquisa compensa

Estes investimentos também vêm permitindo resultados para os fabricantes de papel. Por exemplo: foi concedido à Voith Paper o pedido de fornecimento de uma linha de produção de papel tissue em Bahrain. A empresa cliente é uma joint venture entre o Grupo Olayan e a Corporação Kimberly-Clark. Outros pedidos provêm, por exemplo, da Asia Pulp and Paper (APP), YinGe Paper e Hengan Paper, que comissionarão um total de cinco máquinas tissue Voith na China, cada uma delas com capacidade de produção diária de 220 toneladas. Também no México e no Brasil, a CMPC Tissue, um dos maiores fabricantes de papel tissue do mundo, optou pela Voith Paper ao encomendar duas novas máquinas.

Além disto, reformas para tecnologia ATMOS também podem ser realizadas. No Chile e na América do Norte, clientes optaram por reformar suas máquinas existentes. “O que nos beneficia significativamente neste desenvolvimento é nosso enfoque holístico, com o qual nós sistematicamente utilizamos as sinergias dentro da Voith Paper para obter vantagens para nossos clientes”, explica Schwier.