Aproveitando a energia do mar

Aproveitando a energia do mar

Os oceanos cobrem 70% da superfície terrestre. Suas massas de água se encontram em constante movimento, e são um reservatório de energia enorme e inesgotável. Estima-se que a potência média das ondas e das correntes marítimas esteja entre 1 e 10 terawatts. Isso significa que as energias marítimas poderiam realizar uma contribuição significativa para a produção de eletricidade com fontes renováveis para as futuras gerações. Os engenheiros da Voith assumiram o desafio de explorar esse potencial para a geração de energia elétrica.

A Voith é pioneira no desenvolvimento de tecnologias marítimas. A empresa é uma precursora tanto na produção de energia a partir do movimento das ondas como no desenvolvimento de usinas de correntes marítimas.

Usinas de correntes marítimas

Energia da enchente e da vazante 


O filme de animação ilustra o funcionamento da tecnologia de correntes marítimas.
As correntes marítimas podem ser usadas para a produção de energia em várias regiões do mundo . As usinas de correntes marítimas utilizam a energia cinética criada pelo movimento que surge entre as marés enchente e vazante. Esse é o aspecto que diferencia as usinas de correntes marítimas das usinas das marés, que utilizam a amplitude das marés, isto é, a altura da queda entre elas.
As usinas de correntes marítimas são instaladas sob a superfície da água e não requerem barragens que alterem a paisagem. Outra vantagem dessa tecnologia está em sua total previsibilidade . A agência internacional de energia estima que pelo menos 6% da atual demanda mundial de eletricidade poderia ser suprida por usinas de correntes marítimas.

O maior desafio enfrentado pelos profissionais que desenvolvem essa tecnologia é a necessidade de projetar instalações robustas, resistentes à corrosão e que operem de forma confiável em água salgada. Engenheiros da Voith desenvolveram paralelamente dois protótipos, um com 1 MW de potência e outro menor, com uma potência nominal de 110 kW. O segundo protótipo está em operação próximo à costa da Coreia do Sul. Já o maior protótipo foi instalado no sistema de pesquisa da Escócia.



Sea Turtle Tidal Park, Coreia do Sul

A Voith vem desenvolvendo a sua inovadora usina de correntes marítimas desde 2006. O primeiro protótipo, que tem uma potência nominal de 110 kW, já se encontra em funcionamento próximo à costa da Coreia do Sul. Aqui se situa o Sea Turtle Tidal Park, que terá uma potência total de 150 MW quando finalizado.
O segundo protótipo da Voith é uma turbina de correntes marítimas de 1 MW, que será instalada em 2012, em uma unidade de pesquisa próxima à costa da Escócia, no oceano Atlântico.

Tidal Current Construction

Usinas de energia das ondas

O filme de animação ilustra o funcionamento da tecnologia OWC (Oscillating Water Column, ou Coluna de Água Oscilante), em cujo princípio se baseiam as usinas de energia das ondas desenvolvidas pela Voith.

As usinas de energia das ondas da Voith podem ser operadas junto à costa ou em locais distantes de terra firme. Elas podem ser instaladas como usinas de quebra-mares em quebra-mares ou molhes existentes, assim como em novas estruturas construídas especificamente para essa finalidade.

A confiabilidade comprovada no longo prazo, bem como o aprimoramento contínuo do projeto são a base do desempenho extraordinário desses sistemas.

Mutriku, Espanha

A primeira usina de energia das ondas operada comercialmente no mundo entrou em funcionamento no verão de 2011, em Mutriku, uma cidade portuária localizada na costa norte da Espanha. A usina foi equipada com 16 turbinas Wells fabricadas pela Voith. A usina de energia das ondas de Mutriku possui uma potência total de 300 quilowatts e produz energia suficiente para alimentar 250 domicílios.