Marcos na história

De Heidenheim para o mundo.

O desenvolvimento de uma empresa familiar da Suábia para um grupo internacional de empresas

Tudo começou em uma serralheria, em Heidenheim. Foi aqui que Johann Matthäus Voith criou a base para a produção industrial de papel. Descubra a emocionante história da empresa Voith.

Tudo começou em uma serralheria: J. M. Voith criou a base para a produção industrial de papel (1825-1867)

1825

No ano de 1825, com apenas 22 anos, Johann Matthäus Voith assume a direção da serralheria de seu pai. Nessa época, cinco funcionários trabalham na oficina mecânica. Johann Matthäus Voith e seus colaboradores realizam principalmente reparos em rodas de água e fábricas de papel.

1830

Já em 1830, Johann Matthäus Voith e sua empresa participam da construção de uma máquina de papel de Johann Widmann, da cidade de Heilbronn.

1848

Voith desenvolve a primeira desfibradora segundo a patente de Friedrich Gottlob Keller. Com isso, ele planta a semente para a empresa industrial Voith.

1856

O fabricante de papel Heinrich Voelter, de Heidenheim, e Johann Matthäus Voith fecham um contrato para o projeto e a construção de máquinas para a produção de celulose. Seu primeiro cliente é a fábrica de papel da Saxônia Kübler und Niethammer.

1864

Quando Johann Matthäus Voith faz 61 anos, seu filho, Friedrich Voith, entra para a empresa da família, a “Oficinas Mecânicas e Fundição", para se preparar para a sucessão. A empresa conta com 35 funcionários em 1864.

Saiba mais Sair

„Das montanhas de Schwäbisch Alb para o vasto mundo“: Da oficina metalúrgica para a grande indústria (1867 - 1913)

1867

O dia 1º de janeiro de 1867 é a data oficial da fundação da empresa J.M. Voith. Nessa data, há 30 funcionários trabalhando na empresa. No mesmo ano, Johann Matthäus Voith passa a direção dos negócios para seu filho Friedrich.

1869

Sob a direção de Friedrich Voith, a empresa continua a desenvolver (consequentemente-delete) a tecnologia de produção de celulose. Em 1869, a Voith recebe a primeira patente para uma desfibradora com cremalheiras de prensagem.

1870

As linhas de produtos da empresa – máquinas de papel e tecnologia de materiais – são complementadas com mais um ramo de negócios. Com a introdução da construção de turbinas, com uma turbina Henschel-Jonval com 100 HP, as turbinas passam a fazer parte também da oferta de produtos da Voith.

1873

Na Exposição Mundial de Viena, Friedrich Voith e Heinrich Voelter apresentam o refinador Voith. Eles recebem a Medalha do Progresso pelo seu projeto. No mesmo ano, Voith fornece a primeira turbina Francis para a tecelagem C.F. Ploucquet, em Heidenheim.

1879

Em 1879 é projetado e construído o primeiro variador de velocidade para turbinas. Originalmente, as primeiras turbinas eram concebidas para o acionamento mecânico de máquinas. Com o surgimento da eletricidade, as turbinas hidráulicas passam a servir principalmente para produzir energia elétrica.

1881

Em 1881, a Voith produz a primeira máquina de papel completa Voith PM1, com 2,35 metros de largura de tela, para a empresa Raithelhuber, Bezner u. Cie., em Gemmrigheim. O cliente não poupa elogios: „A máquina funcionou desde o início sem qualquer problema.“

1892

No aniversário de 25 anos da empresa, a Voith recebe um convidado especial: rei Wilhelm II, ou Guilherme II, visita a Voith em 2 de julho. Os funcionários, que em 1892 já eram 330, comparecem em trajes de festa.

1893

A partir de 1893, a empresa J.M. Voith inicia a construção de turbinas Pelton. Para Friedrich Voith, a produção das turbinas de impulso significa mais um avanço econômico e tecnológico. Para ele, o contato com a ciência e a pesquisa é essencial: “Para sobreviver à concorrência econômica, é preciso estar à frente do progresso tecnológico.”

1899

Voith fornece a primeira máquina de papel para a Rússia.

1903

Em 1903, Friedrich Voith inaugura a primeira filial da Voith, em St. Pölten, na Áustria, com 230 funcionários, visando expandir para os mercados da Hungria e Rússia. Na sede, em Heidenheim, o número de funcionários já chegou a 1.000. No mesmo ano, a Voith recebe uma encomenda para construir as maiores turbinas do mundo: doze turbinas Francis com 12.000 HP cada uma, para as usinas nas Cataratas do Niágara, nos Estados Unidos e no Canadá.

1908

No ano de 1908, entra em operação o primeiro centro de pesquisa hidráulica, “Brunnenmühle”, em Heidenheim, marcando uma nova era no desenvolvimento da empresa.

1910

A Voith fornece as turbinas da primeira usina hidrelétrica chinesa, Shi Long Ba (província de Yunnan).

Saiba mais Sair

Invenções tornam-se tecnologia de base: acionamentos hidrodinâmicos, hélices propulsoras Voith Schneider e turbinas Kaplan (1913 - 1945)

1913

Ao morrer, Friedrich Voith deixa para seus três filhos, Walter, Hermann e Hanns, uma fábrica de máquinas com 3.000 funcionários. No mesmo ano, a Voith constrói a maior máquina de papel para impressão de jornais até então, com 5,20 metros de largura de tela, para a Holmen Bruks, na cidade sueca de Hallstavik

1922

A turbina Kaplan, que leva o nome de seu inventor, o Prof. Viktor Kaplan, é construída pela primeira vez, com 1.100 HP. No mesmo ano, a Voith começa a produção de engrenagens.

1927

No ano de 1927, juntamente com a empresa Voith em Sankt Pölten, registra a patente da hélice propulsora Voith-Schneider (VSP), construída no ano anterior segundo o projeto do engenheiro vienense. Especial: o sistema de acionamento da embarcação, que ao mesmo tempo determina a direção, permite a manobra de embarcações com uma flexibilidade até então inexistente.

1928

É lançada a primeira embarcação equipada com rotor de hélice propulsora Voith-Schneider, “Uhu”.

1929

A Voith fecha um contrato de licenciamento com Hermann Föttinger para um acoplamento hidrodinâmico, freio e conversor. A empresa começa a construir os primeiros acoplamentos hidrodinâmicos, chamados de “turboacoplamentos”.

1934

No ano de 1934 é fornecida a primeira transmissão turbo Voith para um bonde diesel-hidráulico da empresa austríaca de transportes ferroviários, a Österreichische Bundesbahn.

Saiba mais Sair

Reconstrução e presença internacional: Pioneiros na tecnologia de reciclagem de papel, primeiros passos para a internacionalização (1945 - 1983)

1950

Após a morte de seu irmão, Hanns Voith assume a direção da empresa. Em 1950, a Voith começa a desenvolver transmissões automáticas e diferenciais, com conversor de torque, para ônibus urbanos.

1951

Em 1951 a Voith lança seu primeiro rebocador, “Biene”, que ficaria conhecido como Water Tractor.

1956

A Voith abre uma filial em Crailsheim para a produção de acoplamentos hidráulicos. No mesmo ano, a Voith exporta a primeira transmissão turbo para os Estados Unidos.

1957

Em 1957, Hugo Rupf torna-se diretor da empresa, juntamente com Hanns Voith. Hugo Rupf é o primeiro diretor da empresa que não pertence à família Voith.

1960

Voith é uma das pioneiras na reciclagem de papel. Juntamente com a fábrica de papel Palm und Haindl, a empresa desenvolve um novo processo de destintamento e flotação para obter celulose de papel usado. Com esse processo, torna-se possível extrair tinta de impressão de papéis usados e fabricar papel novo de alta qualidade.

1961

No ano de 1961, a Voith GmbH forneceu a maior máquina de papel para jornais até então na Europa, com tela de 8,3 metros de largura, para a editora Ahlström, na cidade de Warkaus, na Finlândia. Nessa época, em Crailsheim, é criado o primeiro acoplamento hidrodinâmico de velocidade regulável, chamado de “turboacoplamento”.

1963

Para expandir a tecnologia de acionamento, é necessário aumentar a capacidade de produção. Em 1963, a fábrica em Garching, próximo de Munique, começa a produzir transmissões automáticas para ônibus.

1964

A Voith abre sua filial em São Paulo, Brasil.

1966

Por encomenda da fábrica de papel Holmens Bruks, em Hallstavik, na Suécia, a Voith constrói a maior máquina de papel de jornais do mundo até então , com uma largura de tela de 9 metros. Em seguida, recebe uma encomenda dos Estados Unidos para duas das maiores turbinas de impulso do mundo, com uma capacidade de 226.000 HP. As quatro turbinas Francis fornecidas pela Voith em Estreito têm a mesma capacidade.

1978

A Voith recebe a encomanda de 12 turbinas para a usina hidrelétrica de Itaipu, no Brasil, a hidrelétrica mais potente do mundo.

Saiba mais Sair

Aquisições, joint-ventures e investimentos em pesquisa e tecnologia (1983 - hoje)

1983

Em 1983, a Voith entra em um novo ramo de negócios: Com a aquisição da empresa Appleton Mills, em Appleton, nos Estados Unidos, a Voith passa a oferecer também produtos no setor de tecnologia de revestimentos.

1985

Na fábrica de Crailsheim, a Voith desenvolve e produz o primeiro Vorecon, um variador da velocidade.

1989

No ano da queda do Muro de Berlim, a Voith contrói em Schongau, no distrito bávaro de Weilheim-Schongau, o maior equipamento de destintamento da Europa até então, para a fabricação de papel reciclado

1993

Em 1993, a Voith dá mais um passo no avanço da tecnologia de reciclagem de papel: Nesse ano, é colocada em funcionamento a PM 11, fornecida pela Voith para a fábrica de papel Schwedt - a primeira máquina para fabricar papel (de impressão de-delete) jornal (feito-delete) com 100% de papel reciclado.

1994

A Voith e o grupo suíço Sulzer criam uma joint-venture de suas atividades no ramo da tecnologia de papel, a Voith Sulzer Papiertechnik.

1995

1995 é um ano de muitas comemorações: A Voith alcança o número de 1 milhão de acoplamentos hidrodinâmicos fornecidos, 100.000 retarders e 25.000 transmissões (turbo-delete) para o transporte ferroviário.

1997

A Voith Hydro ganha a licitação para o fornecimento de seis turbinas para uma das maiores usinas hidrelétricas do mundo, na repressa de Três Gargantas, na China. A Voith entrega na Áustria a Triple Star, uma das máquinas de fabricação de papel mais potentes do mundo. Além disso, a Voith alcança o número de 150.000 retarders e 100.000 transmissões automáticas fornecidas.

1998

A Voith adquire as empresas Scharfenbergkupplung, em Salzgitter, e Küsel Antriebe, em Essen, ambas no setor de acionamentos.

1999

Realizando a maior aquisição na história da empresa até então, a Voith adquire os setores de tecnologia de papel da britânica Scapa Group plc., tornando-se líder no mercado de telas e feltros para a indústria do papel.

2000

A Voith e a Siemens criam uma joint-venture no ramo hidrelétrico. Além disso, a Voith aumenta sua participação na DIW Deutsche Industriewartung AG, obtendo a direção industrial no grupo de acionistas.

2001

Em 2001, a Voith Paper incorpora os setores de tecnologia de papel da Jagenberg AG, a produtora de máquinas Hermann Finckh Maschinenfabrik e a divisão de reciclagem e secagem da Kvaerner Pulp & Paper, na Noruega.

2003

A Voith Industrial Services adquire participação no Grupo Imo Hüther, em Ludwigshafen. A Voith Paper fortalece sua presença no norte da Europa, com a compra da Pikoteknik, na Finlândia.

2005

No final de maio de 2005, a Voith Industrial Services sedimenta sua posição de liderança no mercado de prestação de serviços técnicos, adquirindo a empresa Premier Group, nos Estados Unidos. A Voith Siemens Hydro compra a empresa Wavegen, em Inverness. A sociedade escocesa, fundada em 1990, é líder na construção de sistemas de energia maremotriz e na pesquisa e desenvolvimento dessa tecnologia

2006

A Voith adquire a maior parte da empresa de tecnologia industrial Hörmann Industrietechnik GmbH. Em 11 de maio, o Centro Tecnológico da Voith Paper é inaugurado em Heidenheim. O mais moderno centro de pesquisa do papel no mundo permite que, pela primeira vez, o completo processo de fabricação de papel possa ser testado e otimizado sob condições reais de produção. Isso é a realização de um sonho do ramo de produção de papel: ter nas mãos hoje o papel que será fabricado no futuro.

2007

Em julho de 2007, a Voith forma uma joint-venture com a empresa coreana Renetec, para a tecnologia de correntes marítimas. Em novembro, a Voith Siemens Hydro adquire a empresa austríaca de hidrelétricas de pequeno portes (PCH) Kössler, com sede em St. Georgen.

2008

Com a participação de 200 clientes e parceiros de todo o mundo, a Voith comemora o centenário do centro de pesquisa e desenvolvimento da Voith Hydro, o “Brunnenmühle”, após uma reforma de modernização com investimentos de mais de 20 milhões de euros.

2009

Em abril, a Voith Hydro e a RWE Innogy comunicam a formação da joint-venture Voith Hydro Ocean Current Technologies. O objetivo da empresa é promover o desenvolvimento, a produção e a venda de tecnologia de correntes marítimas.

2010

A Voith expande para a Índia e inaugura em Vadodara uma nova fábrica para componentes e rotores hidráulicos Small Hydro, com uma capacidade de até 30 Megawatts

2011

No verão, a primeira usina de energia das ondas no mundo entra em operação comercial em Mutriku, no litoral basco. Para esse empreendimento da empresa de energia espanhola Ente Vasco de la Energía (EVE), a Voith forneceu equipamentos para 16 turbinas Wells. Elas têm uma capacidade total de 300 Kilowatts (KW) e geram energia suficiente para 250 residências.

Saiba mais Sair